quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Letras e números nas Artes Visuais


Nesta unidade vamos abordar os tipos - letras e números - presentes 
em algumas formas de expressão artística.



Tipologia ou Tipografia é o chamado estudo sistemático de tipos, ou seja, estudo das letras podendo ser aplicado a diversos meios (como nas artes visuais, na arquitetura, na redação, na diagramação, no design gráfico).  
As letras podem se destacar em um texto ou produção gráfica de acordo com sua:











Chamamos de “Tipo” o formato padronizado de determinadas letras.

Podemos destacar três principais tipos de letras distintos:

Letras manuscritas:

Ou letras cursivas, são letras com formato realizado manualmente ou semelhantes à escrita à mão livre.



Letras de forma:

Como o próprio nome diz, letra de forma é um tipo de letra padronizada.

O Tipo bastão é a forma de letra fácil de ser compreendido e lido, caracterizado principalmente pela forma de seu traçado simples e não decorado por serifas (pequenos prolongamentos nas pontas das letras). É o tipo padrão usado em projetos e em desenho técnico em geral. Ex.: Arial, Tahoma, Verdana.

Podemos classificar as letras de forma de acordo com o seu tipo: ANTIGO (Times), MODERNO (Bodoni), COM SERIFA e SEM SERIFA.







Letras decorativas:

São tipos desenhados de maneira livre e criativa, são formatos decorativos, fantasiosos, brincalhões, radicais. Atraem principalmente pelo impacto visual do que propriamente pelo texto a ser lido.




 CLIQUE AQUI PARA VER MAIS LETRAS DECORATIVAS





EXEMPLOS DE COMPOSIÇÃO 
DE IMAGENS COM TIPOS:









O Alfabeto


UM POUCO SOBRE A INVENÇÃO DO ALFABETO 

Já imaginou um carteiro carregado de tabletes de barro, madeira e pedra, distribuindo essas encomendas pelas cidades? Há cerca de 5 mil anos talvez essa cena não seria tão estranha. Em vez de papel, as pessoas escreviam em pedaços de barro e outros materiais. A escrita também era bem diferente da atual, feita com desenhos.

A escrita foi inventada na Suméria, um país que existia onde hoje estão o Irã e o Iraque, numa região chamada Mesopotâmia, que significa "entre rios". Os rios são o Tigre e o Eufrates. Naquela época, cerca de 5 mil anos atrás, a escrita começou a ser feita em pequenas almofadas de barro. Mais tarde, usou-se também madeira, metal e pedra para escrever. A idéia pegou e, assim, surgiram maneiras diferentes de escrever em vários pontos do mundo, de acordo com a língua falada em cada região.
No começo, a escrita era feita com o desenho das coisas. Por exemplo: se a palavra era "casa", fazia-se o desenho de uma casa. Mas logo vieram as dificuldades. Como escrever o nome de uma pessoa? Não bastava fazer o desenho de um homem ou de uma mulher! Então começaram-se a combinar os símbolos. Desse modo, para escrever algo sobre alguém chamado Coelho, bastava desenhar um homem e um coelho. Mas isso também nem sempre funcionava bem. Como a gente poderia representar alguém chamado Henrique? Para resolver esse tipo de problema, passou-se a escrever os sons das palavras e não mais as idéias. Para escrever "irmão", desenhavam-se as pernas andando (ir) e uma mão. Um soldado era representado por um sol junto com um dado.


Ainda assim as dificuldades apareciam. Surgiu, então, uma maneira de escrever na qual eram observados os sons da fala. Se a gente espichar a fala devagar, ao dizer cavalo, por exemplo, alguns sons chamados "vogais" ficam destacados. Se a gente presta atenção nos movimentos da boca, os sons chamados "consoantes" se sobressaem. Juntando os dois tipos de sons, temos umas unidades chamadas sílabas: ca + va + lo. Assim, os símbolos da escrita passaram a ser as sílabas ou as vogais e as consoantes separadamente, conforme a língua. Esse tipo de escrita que representa separadamente as vogais e as consoantes, ou seja, cada letra, é chamado alfabeto, que se mostrou tão interessante, útil e prático que hoje em dia todas as línguas do mundo podem ser escritas com esse sistema.

Adaptado do artigo originalmente publicado
em Ciência Hoje das Crianças 48 escrito por:
Luiz Carlos Cagliari,
Universidade Estadual de Campinas.



veja aqui outros tipos de alfabetos:

Alfabetos diversos: http://www.invivo.fiocruz.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=914&sid=7

Alfabeto JAPONÊS: http://www.brasilescola.com/japao/o-alfabeto-japones.htm

Alfabeto GREGO: http://www.descultura.com.br/?p=269













Veja mais imagens de ILUMINURAS


O vídeo abaixo mostra a abertura do filme SHREK.
Observe as iluminuras nas páginas do livro:







A Impressão


As técnicas de impressão foram desenvolvidas inicialmente na China, no século VIII, entretanto só passaram a ser utilizadas na Europa, por volta do ano de 1430, quando Coster, na Holanda, iniciou a impressão de livros com a utilização de caracteres móveis de madeira, razão pela qual é considerado por muitos como o pai da imprensa.

O crédito da invenção da imprensa, no entanto, foi dado a Johannes Gutenberg, alemão, que substituiu as pranchas xilográficas por caracteres móveis de madeira, depois pelo cobre e, finalmente, pelo aço. Criou um processo que consistia em cunhar as letras em matrizes de cobre, com um punção de aço com letras gravadas em relevo, gerando uma espécie de molde de letras (também chamadas de"TIPOS"), que eram finalmente montadas em uma base de chumbo, tintadas e prensadas. Assim, Gutenberg produziu a primeira Bíblia, impressa em latim, com uma tiragem de cerca de 300 exemplares.



tipos móveis

As mudanças econômicas, culturais e tecnológicas ocorridas na Europa, a partir do século XV; tais como desenvolvimento da metalurgia, o fabrico do papel e, principalmente, a explosão intelectual ocorrida com a Renascença; possibilitaram o surgimento das primeiras imprensas.

A produção dessas imprensas foi inicialmente restrita a reprodução de manuscritos religiosos. Em 1476, William Caxton deu o primeiro passo na utilização da impressão como veículo para a promoção e divulgação da literatura, estabelecendo, na Inglaterra, a primeira tipografia. Caxton editou, imprimiu e distribuiu mais de 90 livros escritos em língua inglesa. Gradualmente as inovações tecnológicas foram sendo introduzidas aos métodos de impressão: fabricação mecânica de papel (1798), prensas rotativas (1803), sistemas fotográficos de gravação de matrizes (1859) e métodos mecânicos de composição de tipos móveis, monotipo(1894) e linotipo(1886).

O desenvolvimento da composição fotomecânica marca o fim da época da composição a quente, com ligas de metal fundidas e o início da composição a frio, seguida pelas tecnologias fotográfica e eletrônica.


"A invenção da imprensa é o maior acontecimento da história. É a revolução mãe... é o pensamento humano que larga uma forma e veste outra... é a completa e definitiva mudança de pele dessa serpente diabólica, que, desde Adão, representa a inteligência."
Victor Hugo, Nossa Senhora de Paris, 1831



ATIVIDADE: LETRAS TIPO BASTÃO

Clique na imagem para ampliá-la



ATIVIDADE: LETRAS DECORATIVAS

Agora é sua vez de criar um alfabeto inventando letras decorativas. Seja criativo, solte a imaginação e capriche! Após criar o alfabeto, que tal escrever seu nome usando estas letras?







ATIVIDADE: PALAVRAS-IMAGENS

Agora vamos fazer associação de imagens com o significado de algumas palavras. Veja os exemplos abaixo:



Crie os desenhos com as letras de acordo com as palavras que o professor orientou em classe. Capriche!





Estilo Grafite



O estilo grafite é conhecido pelo emprego de letras decorativas que se fundem e muitas vezes se confundem às imagens. É muito comum a representação de nomes e símbolos incorporados ao desenho e também o uso de elementos de volume como a perspectiva e sombras nas letras. A grande referência deste estilo é a cultura Hip-Hop.






Vídeo: Exposição "Os Gêmeos" (FAAP)
Pequena reportagem sobre o trabalho dos irmãos grafiteiros

Vídeo: Obras dos artistas "Os Gêmeos"


Vídeo: Graffiti Stencil - Arte para todos


Vídeo: Grafite X Pichação





ATIVIDADE: NOME NO ESTILO GRAFITE

Crie um visual bem bacana para seu nome empregando o estilo grafite, se quiser, desenhe um muro no fundo do quadro do desenho. Capriche! 

Veja os exemplos abaixo.


Atividade de criação de figuras e nomes em estilo Grafite
(Turma 8ª série C - EMEF Rosa da Penha /2010)














Atividade de Grafitagem no muro da EMEF Rosa da Penha (Cariacica - ES) no ano de 2010



.

2 comentários:

  1. Douglas, achei muito interessante os trabalhos com letras e números dos alunos. Também sou professor de Artes e apresentei seus trabalhos para meus alunos. Email para contato: duranleiro@hotmail.com,
    trocarmos ideias sobre nossas aulas.

    ResponderExcluir
  2. metira que eu vo pro buteco bebo até encher o caneco !

    ResponderExcluir